[RESENHA] Um Dia

0

Clássico e conhecido livro que consagrou David Nicholls, Um Dia marca forte presença na prateleira de boa parte dos leitores nos tempos atuais. A obra traz uma história repleta de pura realidade transformada em ficção, delicadamente narrada e ambientada com certo romance ao fundo, que certamente faz jus a fama do filme estrelado por Jim Sturgess e Anne Hathaway.

capa_umdia_web

FICHA TÉCNICA:
Título: 
Um Dia
Título original: One Day
Autor: David Nicholls
Páginas: 414
Ano: 2011
Editora: Intrínseca

Quanta coisa pode mudar em vinte anos?
Quantas vezes o universo pode provar que o futuro é completamente incerto?
De quantas maneiras a vida de alguém pode se transformar até finalmente entrar nos eixos?

Emma e Dexter se cruzam na festa de formatura em 1988 e terminam a noite juntos em uma cama de solteiro, embora não exatamente de um jeito romântico. Em um determinado momento, os dois entram em uma conversa sobre o futuro após a universidade e, mesmo que no dia seguinte cada um fosse seguir um caminho diferente, a amizade entre eles continuaria por meio de telefonemas, cartas e visitas. Como esperado, o tempo faz com que os dois logo se tornem inseparáveis, embora constantemente separados.

“— Acho que o importante é fazer diferença — disse ela. — Mudar alguma coisa, sabe?
— Você está falando de “mudar o mundo”?
— Não o mundo inteiro. Só um pouquinho ao nosso redor.”

Mas, assim como na mais dura realidade, a vida adulta não é aquilo que todos esperam aos 20 anos. Entre altos e baixos, Emma e Dexter sofrem decepções, tristezas, assistem alguns de seus sonhos serem destruídos aos poucos e descobrem que a vida depois da faculdade não é tão fácil quanto pensavam. Capítulo por capítulo, a história narra o dia dos personagens principais em todo 15 de julho, comemorando a data em que se conheceram.

Antes de tudo, é importante ressaltar que Um Dia não é sobre uma história de amor. É sobre a vida. Apesar dos fortes e visíveis sentimentos que os protagonistas carregam um pelo outro, o verdadeiro foco da narrativa de David Nicholls se trata das dificuldades de crescer e amadurecer. Desde a primeira conversa sobre o futuro até o passar rápido dos anos, as vidas de Em e Dex parecem ser feitas de brinquedos pelo destino.

Emma, com seu jeito politizado e sonhador, logo acaba ficando presa a um balcão de uma lanchonete de comida mexicana. Dexter, que tanto queria viver de fotografia, se torna apresentador de um programa de televisão com uma fama não tão boa. As fraquezas trazidas à tona pelos dramas familiares, decepções profissionais e desilusões amorosas deixam a história ainda mais profunda, além de conseguir aproximar cada vez mais os protagonistas que, apesar de serem muito opostos e viverem realidades diferentes, se tornam quase iguais quando estão lado a lado.

Os cenários que servem de plano de fundo para o romance são descritos sem muitos detalhes, mas ainda conseguem passar a ideia da cena para o leitor. Embora a leitura possa ser um pouco arrastada de início, a maneira como o autor decidiu estruturar a narrativa faz muito sentido ao considerar a proposta da história. Um capítulo e, então, um intervalo de um ano: dessa forma, é possível ter uma noção do quanto uma vida pode mudar drasticamente em apenas 365 dias.

“Houve um tempo em que achava que poderia conquistar Londres (…) A cidade tinha vencido, exatamente como disseram que aconteceria. Como numa festa cheia de gente, ninguém percebeu a chegada dela, e ninguém notaria se fosse embora.”

Certamente, David Nicholls se consagrou como escritor em Um Dia ao criar uma história repleta de uma combinação entre emoção e realismo, causando algo essencialmente importante no leitor: identificação. Quem nunca achou que podia mudar o mundo quando crescesse e depois viu que as coisas não eram bem assim?

Além da bela história de amor e amizade, a obra traz consigo reflexões e aprendizados que concretizam a ideia de como nossos sonhos podem ser frágeis, assim como a vida em si. É uma boa indicação para quem procura uma história marcante.

CRÍTICA
Um Dia
COMPARTILHE
Futura jornalista apaixonada pelo mundo da literatura e do cinema.