[RESENHA] Tudo e Todas as Coisas

0

Tudo e Todas Coisas me conquistou mesmo antes de começar a leitura, por mais que o tema soe um pouco clichê, a garota doente se apaixonando pelo bonitão bad-boy, o livro passa longe de ser apenas mais um do gênero.

Basicamente meu interesse se deu pela premissa, que desde sempre parecia bastante promissora para mim, e posso dizer que foi. Madeline tem 18 anos e ela nunca saiu de casa, ela nunca pôde sair de casa, ela sofre de uma doença super rara conhecida como IDCG (Imunodeficiência Combinada Grave), resumindo, ela tem alergia ao mundo.

FICHA TÉCNICA: 
Título: Tudo e Todas as Coisas
Autor(a): Nicola Yoon
Publicado por: Editora Arqueiro
Número de Páginas: 280
Compre em Promoção: Amazon

 

Ela vive com sua mãe em um tipo de casa futurista, onde tudo que entra é esterilizado, todas as pessoas que precisam adentrar o local também precisam passar por um processo de purificação, afim de garantir que não tragam junto nenhuma bactéria ou algo que possa desencadear um ataque a sua doença.

Madeline vive a mesma vida desde que nasceu, sua única amiga é sua enfermeira, Carla, que passa o dia com ela enquanto sua mãe, que é médica, trabalha fora. Seu pai e seu irmão morreram antes mesmo de ela ter consciência, em um acidente fatal de carro.

A vida dentro dessa bolha criada por sua mãe muda quanto pela janela de sua casa ela avista uma família se mudando para a casa da frente, quando ela finalmente conhece Olly, o garoto que usa preto dos pés a cabeça, e que de uma maneira impressionante mexe com os sentimentos de Maddy. Após conseguirem trocar seus emails, os dois começam uma jornada de auto-descoberta e acabam se envolvendo de forma rápida.

Essa foi minha primeira experiência lendo algo da autora Nicola Yoon, que também escreveu “O Sol Também é Uma Estrela“, e já estou ansioso para pegar mais algum título dela para ler o mais breve possível. A autora consegue passar todos os sentimentos dos personagens e descrever as cenas de forma leve e descontraída, então se prepare para ler o livro rapidamente, ou até mesmo em uma sentada.

Mesmo com todos os problemas pessoais, os dois personagens acendem a vontade de viver um no outro, e chega a ser um tanto inspirador ver o que ambos são capazes de fazer em nome do amor. O final do livro é surpreendente, apesar de que é bem fácil imaginar que fosse terminar da maneira que terminou, ainda assim, foi um jeito incrível de finalizar a história.

A Editora Arqueiro caprichou na edição, que além de ter ilustrações incríveis também conta com algumas imagens da adaptação cinematográfica que traz Amandla Stenberg (Jogos Vorazes) e Nick Robinson (A 5ª Onda) nos papeis principais.

Se eu recomendo o livro? Obviamente! Porém não leia esperando ser uma obra-prima impecável ou um marco para a literatura mundial, o livro é simples, gostoso e uma ótima dica para sair de uma ressaca literária ou até mesmo para ler algo mais leve depois de uma leitura pesada.

CRÍTICA
Tudo e Todas as Coisas
COMPARTILHE
Apaixonado por cinema, seriados e literatura. Quando criança queria ser astronauta, e hoje vive no mundo da lua.