[RESENHA] A Mulher na Janela

0

Quando presencia um crime pela janela de sua casa, Anna Fox, uma mulher que vive reclusa em sua bolha de proteção – sofrendo de uma síndrome que a impossibilita de sair de casa -, se vê confrontada se o quê viu realmente aconteceu ou tudo não passa de uma mistura forte de remédios e bebida alcoólica.

Anna Fox mora sozinha na bela casa que um dia abrigou sua família feliz. Separada do marido e da filha e sofrendo de uma fobia que a mantém reclusa, ela passa os dias bebendo (muito) vinho, assistindo a filmes antigos, conversando com estranhos na internet e… espionando os vizinhos.

Quando os Russells – pai, mãe e o filho adolescente – se mudam para a casa do outro lado do parque, Anna fica obcecada por aquela família perfeita. Até que certa noite, bisbilhotando através de sua câmera, ela vê na casa deles algo que a deixa aterrorizada e faz seu mundo – e seus segredos chocantes – começar a ruir.

Mas será que o que testemunhou aconteceu mesmo? O que é realidade? O que é imaginação? Existe realmente alguém em perigo? E quem está no controle?

A Mulher na Janela é o romance de estreia do autor A.J. Finn, que engrena no mundo literário com um thriller psicológico que faz até mesmo os não muito chegados no gênero a aclamar sua obra.

Entre uma taça e outra de vinho, a nossa protagonista vê os dias passarem observando a vida dos outros pela janela de sua casa. Ela luta diariamente contra agorafobia, um transtorno de ansiedade que faz com ela sinta medo de sair de casa. Ela também luta para suprir a falta de seu marido e sua filha, que não vivem mais com ela.

O autor acerta em cheio em narrar os acontecimentos em capítulos curtos, que faz com que a leitura passe voando. O mistério apresentado aos leitores, faz com que devorar o livro seja quase que obrigatório, e você não irá conseguir parar até que as respostam comecem a pipocar pelas páginas. Acreditar ou não na protagonista, fica a critério de cada um durante a leitura. Ela realmente presenciou algo terrível ou tudo não passa de uma ilusão pregada por sua mente?

O autor se preocupa também em não contar apenas o que está acontecendo no momento atual, mas a reviver a história de Anna, para que possamos entender melhor sua condição e o que desencadeou seu transtorno. Anna não é descrita como uma heroína ou algo do tipo, ela é humanizada sempre, tem suas falhas e quase sempre está fazendo alguma besteira, o que faz com que se conectar com ela seja uma tarefa ainda mais fácil.

A Mulher na Janela é um dos melhores lançamentos desse ano, colocando o nome de A.J. Finn no mapa. Não se espante se em breve sair algum anúncio de que o livro será adaptado para os cinemas, porque só de ler a obra, o leitor já sente como se estivesse assistindo a um filme de suspense antigo.

O desfecho do livro surpreende, e quando você acha que as reviravoltas chegaram ao fim, o autor mostra que nada é o que realmente parece. Já se prepare para ficar de queixo caído.

CRÍTICA
A Mulher na Janela
COMPARTILHE
Apaixonado por cinema, seriados e literatura. Quando criança queria ser astronauta, e hoje vive no mundo da lua.