[RESENHA] Guerra do Rock

0

Robert Muchamore traz uma competição eletrizante e a maior batalha das vidas de Jay, Summer e Dylan: a guerra do rock.

Guerra do rock

Título: Guerra do Rock

Título original: Rock War

Autor: Robert Muchamore

Ano de publicação: 2017

Páginas: 320

Editora: Rocco Jovens Leitores

Comprar: Saraiva | Submarino

As doze melhores bandas jovens da Grã-Bretanha vão ser selecionadas para participar de uma eletrizante competição. A batalha de bandas Rock The Lock, patrocinada pela Terror FM, concederá destaque no horário nobre para uma apresentação e uma entrevista ao vivo na emissora. Jay, Summer e Dylan estão mais que dispostos a entrar nessa disputa, mas quando suas ambições são sufocadas, eles percebem que estão prestes a entrar na maior batalha de suas vidas. Quem vai sobreviver à guerra do rock?

Robert Muchamore traz três protagonistas com vidas distintas, mas um mesmo destino: a música. Jay é um ótimo compositor, mas com sete irmãos mais velhos e um péssimo baterista fica difícil ter algum sucesso. Ele leva a seu sonho muito a sério e, por isso, passa boa parte do livro procurando montar uma banda perfeita e se frustrando no caminho. Summer tem possui uma bela voz, mas seus estudos e os cuidados com a avó, com um grave caso de asma, tomam todo seu tempo. Ela encontra na Industrial Scale Slaughter uma oportunidade de ser parte de algo e fazer o que gosta. Dylan tem talento para diversas áreas, mas não liga muito para isso. Ele cai de paraquedas em uma banda enquanto foge de um time de futebol.

O objetivo de vida de Jay era tocar numa banda e ganhar a vida como roqueiro.

A princípio a pouca idade dos personagens pareceu ser uma barreira, mas a junção de capítulos pequenos e bem estruturados com a diagramação tornou o livro envolvente e trouxe uma tranquila leitura.

O autor apresenta uma narrativa de diversos pontos de vista. Houve certa liberdade na hora da troca de locutores. Ele não ficou preso a apenas um personagem, ou no caso, os três protagonistas. Muchamore explorou com domínio a mente de pessoas que não se encontravam a frente, como a mãe Jay ou a professora de música de Dylan. Indivíduos que geralmente não teriam a chance de expor o que pensam.

Comecei achando que seria uma obra de um livro só, mas surpreendentemente haverá uma sequência, onde as bandas selecionadas participam de um reality show. Em resumo, o livro capturou minha atenção e a premissa de uma batalha de bandas e as referências musicais são os pontos fortes para que a continuação seja tão boa quanto o primeiro.

CRÍTICA
Guerra do Rock
COMPARTILHE
Uma jornalista em preparo sempre acompanhada de um bom livro, um bom filme ou uma boa série.