Crítica | Annabelle 2 – A Criação do Mal

0

O primeiro filme da boneca demoníaca, Annabelle, que ficou conhecida em Invocação do Mal (2013) não havia agradado muito o público, porém Annabelle 2: A Criação do Mal chega para tentar se redimir com os fãs da franquia, entregando um filme de terror que cumpre o que promete em sua extensidade.

Apesar de ser um sucesso de bilheteria mundial, Annabelle não agradou o público que saiu decepcionado em 2014 das salas de cinemas, já o segundo longa pode agradar e muito os fãs dos filmes originais. Annabelle 2 não economiza na tensão, que utiliza inúmeros jogos de câmera para deixar o espectador apreensivo e pronto para um susto eminente.

Na trama, um grupo de garotas órfãs e uma freira encontram um novo lar na casa do casal Mullin, que sofreu a perda trágica de sua filha alguns anos antes. Logo que a mudança ocorre, o espírito maligno que habita o local começa a brincar com as garotas afim de encontrar um corpo em que possa se hospedar. O filme acompanha muito mais as personagens Janice (Talitha Bateman) e Linda (Lulu Wilson) do que a criação da boneca em si, o que ocasiona alguns furos no roteiro que por si só não consegue se sustentar.

Os sustos estão lá, eles podem ocorrer a qualquer momento, o espectador desprevenido que gosta de gritar vendo um bom filme de terror pode acabar se saciando ao ser pego de surpresa, principalmente com a trilha sonora construída para manter a tensão durante todo o longa. O filme consegue prender a atenção de quem assiste ao mesmo tempo que entrega inúmeras referências de filmes anteriores da franquia e até mesmo de filmes que irão chegar muito em breve.

O diretor David F. Sandberg parece ter analisado bastante os filmes anteriores, já que muitos técnicas de direção usadas lembram as usadas por James Wan na franquia, porém, ainda assim ele consegue usar alguns truques únicos, deixando sua própria marca no filme.

O filme poderia ser melhor? Sim, principalmente o roteiro que ainda é bastante raso. Mas ainda assim se mostra muito superior ao seu antecessor, garantindo que aqueles que vão ao cinema para se entreter saiam de lá satisfeitos com o que lhes foi apresentado no telão.

CRÍTICA
Annabelle 2: A Criação do Mal
COMPARTILHE
Apaixonado por cinema, seriados e literatura. Quando criança queria ser astronauta, e hoje vive no mundo da lua.